Vila-realenses interrompem tratamentos médicos por falta de medicamentos nas farmácias

No último ano mais de metade dos utentes do distrito de Vila Real teve dificuldades em encontrar o medicamento pretendido nas farmácias. 58% dos utentes não encontraram o medicamento pretendido, tendo mesmo 27% dos utentes recorrido a uma nova consulta para obter o medicamento.

Os dados dão do Centro de Estudos Farmacêuticos e Avaliação em Saúde – CEFAR que revelam ainda que o distrito de Vila Real está acima da média nacional na dificuldade de acesso ao medicamento, como referiu à UFM o diretor do Centro António Teixeira Rodrigues.

 Para o Diretor do Centro de Estudos e avaliação em Saúde este é um “problema grave de saúde pública”.

António Teixeira Rodrigues diz que a indisponibilidade de medicamentos nas farmácias nacionais, e em especial em Vila Real, tem origem em “várias razões”, no entanto destaca a fragilidade financeira das farmácias, a falta de competitividade e as poucas farmácias existentes no território, como algumas das causas.

Os inquéritos que estiveram na base deste estudo sobre o “impacto da indisponibilidade do medicamento no Cidadão e no Sistema de Saúde foram efetuados em abril deste ano e contaram com a participação dos utentes de 2.097 farmácias do país.

Menu