Vila Real submeteu a sua candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027

A Câmara Municipal de Vila Real entregou ontem a proposta formal da Candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027.

As propostas que Vila Real apresenta serão conhecidas amanhã às 21horas durante uma sessão de divulgação que vai decorrer no Grande Auditório do Teatro de Vila Real. No entanto, ontem e para assinalar a entrega do dossiê de candidatura, foi inaugurada nos Paços do Concelho a instalação “O grande pano: um quotidiano feito de linho” da autoria de Ana Pérez-Quiroga.

Para a vereadora do pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Vila Real, Mara Minhava, o linho de Agarez será uma vertente prioritária do Plano Estratégico para a Cultura.

A autora da instalação, Ana Pérez-Quiroga, considerou “o momento histórico” para o concelho de Vila Real, sendo “um privilégio enorme poder partilhar esta emoção”.

A Instalação é constituída por 12 longos panos de linho que caem suspensos da varanda e por uma grande mesa de madeira onde estão colocados 29 conjuntos de panos de linho, concretamente linho semeado e tecido em Agarez, homenageando todas as mulheres que trabalham o linho.

A candidatura de Vila Real tem como lema “Movemos Montanhas”, e quer mostrar a resiliência dos transmontanos e alto-durienses, unindo todo o território do Douro.

Conjuntamente com Vila Real concorrem a Capital Europeia da Cultura os municípios de Braga, Aveiro, Coimbra, Évora, Faro, Funchal, Leiria, Guarda, Oeiras, Viana do Castelo e Ponta Delgada.

Em finais de março do próximo ano as candidaturas escolhidas neste pré-seleção vão ser divulgadas e a vencedora só será conhecida em 2023.

Lisboa, Porto e Guimarães já ostentaram o título de Capital Europeia da Cultura.

A verba disponível para a Capital Europeia da Cultura 2027 é de 25 milhões de euros.

Menu