Quercus vai apresentar queixa à UNESCO contra novo parque eólico no Marão

A Associação Ambientalista Quercus vai apresentar uma queixa formal à UNESCO por considerar que o novo parque eólico que vai surgir no Marão será um atentado à Paisagem do Alto Douro Vinhateiro. A Quercus defende ainda que esta nova estrutura será um atentado ambiental.

Até à próxima quarta-feira, está a decorrer o Estudo de Impacto Ambiental para a criação de um empreendimento que vai surgir na Serra do Marão, no concelho de Amarante, um novo parque eólico que terá um período de exploração de 20 a 25 anos e que terá oito aerogeradores com 93 metros de altura, equivalente a um prédio de 30 andares, e com rotores com 114 metros de diâmetro.

João Branco da QUERCUS refere que este Parque vai ferir a paisagem Património Mundial do Alto Douro Vinhateiro , daí que esta queixa pretende alertar a UNESCO.

Para além da paisagem a QUERCUS diz que este será um atentado ambiental com a destruição da biodiversidade e a alteração do habitat de espécies protegidas como o caso do Lobo Ibérico, do abutre negro e da Águia Real.

E por considerar ser um verdadeiro perigo para a paisagem do Marão e do Alto Douro Vinhateiro, a QUERCIS espera que os autarcas e a população possam estar ao lado desta pretensão da associação ambientalista.

A QUERCUS considera que as dimensões dos aerogeradores são incompatíveis com a preservação ambiental, vão contra a classificação do Marão como área de rede Natura 2000  e pode afetar a classificação do Douro Património Mundial da Humanidade.

Menu