Professora universitária absolvida de crime de maus tratos às filhas

O tribunal de Vila Real não deu como provados os crimes de maus tratos às filhas adotivas de uma professora universitária da UTAD. Após uma primeira condenação em primeira instância, o tribunal de Relação de Guimarães mandou repetir o julgamento por considerar que o primeiro apresentava  “contradições insanáveis”. Na repetição a docente foi absolvida.  Recorde-se que este processo foi extraído de um outro julgamento, em 2017, em que o pai adotivo foi condenado por crimes de abusos sexuais às três filhas adotivas, na altura todas menores de idade. A professora universitária foi acusada de maus tratos de estar a par das situações de abuso sofridas pelas filhas, mas agora o tribunal não encontrou provas destes crimes. Na primeira instância a mulher foi condenada a três anos de pena suspensa e a uma indemnização de trinta mil euros às filhas, condenação que foi assim levantada.  

Sónia Domingues

Menu