UTAD recebe Cimeira Ibero-Americana de reitores

O Conselho Universitário Ibero-Americano, que engloba 21 países da América Latina e da Península Ibérica, está reunido este ano no nosso país. Ontem a primeira reunião decorreu na UTAD e esta tarde os trabalhos continuam no Porto.

O principal objetivo desta Cimeira é a criação de uma agenda de conhecimento e de ciência comum e o intercâmbio de professores e alunos.

Este encontro do Conselho Universitário Ibero-Americano tem como principal objetivo dinamizar a criação de um espaço ibero-americano de Ensino Superior e de Investigação, fomentando a mobilidade de professores e estudantes.

Entre os principais temas, conta-se a discussão do papel da Universidade na Agenda 2030 das Nações Unidas e, em particular, a importância que o ensino superior e a ciência representam na concretização dos “17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, como referiu à UFM, Felix Garcia, secretário Geral do Conselho Universitário Ibero-Americano.

Felix Garcia considera que a mobilidade pode ser fomentada com a divulgação  das potencialidades das universidades, devendo ainda ser melhorado o sistema de vistos de residências para estudantes e posteriormente as universidades de origem deverão reconhecer o tempo e a avaliação do estudante na mobilidade.

Para António Fontaínhas Fernandes, reitor da UTAD e  presidente do CRUP esta Cimeira pretende preparar uma esta agenda comum de 21 países para aumentar a mobilidade quer no ensino superior quer na investigação

O Conselho Universitário Ibero-americano foi constituído em Cartagena das Índias na Colômbia em 2002 e configura-se como uma entidade privilegiada de representação dos sistemas universitários e de investigação.

A sua esfera de atuação desenvolve-se, também, no âmbito das atividades prosseguidas pela Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB) e, consequentemente, procura interagir com o programa das Cimeiras Ibero-americanas de Chefes de Estado e de Governo.

Menu