Título mundial de campeã de surf adaptado teve o contributo da UTAD

Veio para Portugal o título mundial de campeã de surf adaptado, um feito que teve o contributo de profissionais que estudam na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). O treinador de Marta Paço e o presidente do clube que representa continuam a prosseguir os seus estudos na academia transmontana.

Aos 16 anos, Marta Paço, do Surf Clube de Viana, sagrou-se campeã mundial de surf adaptado no Pismo Beach ISA World Para Surfing Championship. A medalha de ouro na classe VI1, para atletas com deficiência visual, agora conquistada na Califórnia [EUA] juntou-se ao título europeu alcançado em 2019.

O seu treinador, Tiago Prieto, está a frequentar o mestrado em Ciências do Desporto, com a especialização em Avaliação e Prescrição na Atividade Física. Já João Zamith, presidente do Surf Clube de Viana e responsável por todo o enquadramento logístico de suporte ao plano de desenvolvimento da jovem surfista, está inscrito no doutoramento em Ciências do Desporto da UTAD.

Tanto Tiago Prieto e João Zamith integram o projeto europeu INCLUSEA, no qual estão envolvidos os docentes Helena Moreira e Ronaldo Gabriel. “Estamos a trabalhar para promover a inclusão social e a acessibilidade de pessoas com deficiências motoras e/ou sensoriais a ‘espaços azuis’ costeiros para fins competitivos, recreativos e/ou terapêuticos, através da prática de surf, encorajando iguais oportunidades para a prática da modalidade”, explica a investigadora do CIDESD, Helena Moreira.

Até meados de 2023, o consórcio de sete instituições europeias ambiciona estabelecer “um padrão comum que permita que estas pessoas adquiram as competências necessárias à prática da modalidade, com garantias de segurança e sustentabilidade”.

Menu