Quintas do ex-presidente da Casa do Douro de novo a leilão para pagar dívida de 3,6 milhões de euros

A Quinta da Boa Vista e a Quinta da Ponte, ambas no concelho de Peso da Régua, foram colocadas à venda para ajudar a pagar as dívidas de Manuel António Santos, último presidente da Casa do Douro enquanto instituição pública, no valor de 3,6 milhões de euros. 

Para já ainda não se sabe se o valor mínimo da licitação das quintas será o mesmo do anterior leilão, que ocorreu em outubro, altura em que mais imóveis e equipamentos foram a  leilão. Por serem os imóveis mais caros as duas quintas não tiveram valor de licitação mínimo, daí que vão voltar a leilão. Na altura a Quinta da Boa vista tinha um valor de licitação base de 1.403.307€  e a quinta da ponte tinha como valor base 775 mil 525 euros. 

Manuel António Santos não esteve disponível para comentar a situação durante o dia de ontem, mas disse, anteriormente, ao “Jornal de Negócios”, que se falasse “teria de dizer coisas muito desagradáveis de instituições públicas”. 

Ao mesmo jornal, salientou que “foi a inveja” que o deixou nesta situação de insolvência e que “foi um tribunal que o causticou de uma forma absolutamente inacreditável”. 

A Parvalorem, que ficou com os ativos tóxicos do BPN, foi a sociedade que requereu a falência de Manuel António Santos, de 73 anos, e da mulher, por dívidas a rondar 1,5 milhões de euros. No entanto, as dívidas apuradas após declarada a insolvência pelo Tribunal de Peso da Régua, em maio de 2018, ascendem a 3,6 milhões de euros. 

Entre os nove credores destacam-se também a Caixa Agrícola do Douro e Côa, o IFAP, a Real Companhia Velha e o Novo Banco. 

O novo leilão ainda não tem data marcada mas deverá acontecer no final do mês de fevereiro.

Menu