Pro Nadir enviou carta à Ministra da Cultura apelando para que não seja demolida a Panificadora

O movimento Pro Nadir, conjuntamente com a Fundação Nadir Afonso e da Docomomo International, enviou ontem uma carta aberta à ministra da Cultura, Graça Fonseca, apelando a que não deixe ir abaixo a Panificadora de Vila Real, um dos poucos edifícios desenhados por Nadir Afonso.

Esta carta conta com mais de 800 assinaturas de arquitetos de renome nacional e internacional e demais personalidades ligadas a arte e cultura, e pretende que o Ministério da Cultura reavalie o processo da antiga Panificadora de Vila Real como refere Marta Santos Silva.

O movimento Pro Nadir espera que a Ministra da Cultura investigue os motivos da Direção Geral do Património Cultural ter arquivado o processo e que possa haver um retrocesso desta posição.

O Movimento Pro Nadir diz que também ontem teve acesso ao contrato-promessa em que o Lidl se compromete a comprar a Panificadora por quase um milhão de euros, uma valorização de mais de 100% relativamente ao preço que o anterior proprietário pagou em 2001, por um edifício ao abandono.

O Movimento Pró Nadir, há um ano que procura ativamente proteger o edifício, opondo-se fortemente à sua demolição. Agora redigiu uma carta aberta à ministra da Cultura solicitando que reabra o procedimento de classificação à Panificadora de Nadir Afonso, em Vila Real, antes que esta seja demolida para fazer um parque de estacionamento ou hipermercado.

Foto Hugo Santos

Menu