Plano de Urbanização de Vila Real reduz terrenos para construção na cidade e freguesias próximas

As Normas Provisórias do  Plano de Urbanização que estão prestes a ser implementadas pelo executivo socialista do município de Vila Real vão reduzir significativamente a área em que se pode construir na cidade e nas freguesias periurbanas, nomeadamente em Lordelo, Parada de Cunhos, Vila Real, Mateus, Folhadela, Arroios e as uniões de freguesias de Borbela/ Lamas d’Olo, Mouçós/Lamares, e Constantim/Valnogueiras. Na prática,  este plano reduz, segundo os vereadores do PSD, 45 por cento da área para construção, havendo zonas em que era possível construir habitação pelo Plano Diretor Municipal que está em vigor  e que vão ficar excluídas. Os vereadores do PSD no executivo municipal denunciam esta situação que foi aprovada com os votos contra dos sociais-democratas. António Carvalho acredita que esta alteração vai resultar no aumento do preço dos terrenos considerados urbanos assim como das habitações.

O vereador Carlos Moreira, explica que os terrenos em causa, estão até ao momento considerados urbanizáveis e encontram-se em zonas amplamente povoadas, referindo que este plano vai aumentar ainda mais a especulação imobiliária no concelho.

Para que as Normas Provisórias do Plano de urbanização entrem em vigor, falta aprovação em assembleia municipal que o executivo pretende que se realize em pleno mês de agosto, altura de férias de uma ampla camada da população e autarcas de Vila Real. 

Os vereadores sociais democratas sublinham que no momento em que o plano provisório seja aprovado, fica logo proibida a construção nestes terrenos, e fazem um apelo aos presidentes das juntas de freguesia, que tenham em conta os interesses da população que os elegeu. 

Por seu lado, a autarquia vila-realense já respondeu a algumas acusações do PSD, referindo que o Plano de Urbanização “é um instrumento de planeamento há muito necessário para a cidade de Vila Real”. Dizem que estas Normas Provisórias, uma vez aprovadas e publicadas, desejavelmente, até ao final do corrente ano, poderão ser “devidamente testadas e validadas”. 

O executivo socialista escuda-se na nova legislação para justificar a  “delimitação dos perímetros urbanos mais criteriosa” e prevêem a aprovação do plano de Urbanização da cidade de Vila Real no primeiro trimestre de 2020. 

Menu