Obras na Avenida Carvalho Araújo poderão arrancar dentro de um mês

Decorreu ontem mais um debate sobre a requalificação da Avenida Carvalho de Araújo em Vila Real, uma sessão que contou com os arquitetos e projetistas do plano que vai começar a ser executado antes de dezembro deste ano.

As críticas a esta requalificação da Avenida continuam, no entanto, o arquiteto responsável Belém Lima diz que a mudança irá “respeitar o caráter e vai reforçar a identidade”.

Isabel Branco, da Quercus, depois de ouvir todas as explicações diz que continua com a mesma opinião, a mudança prevista para a Avenida Carvalho Araújo “vai agravar as alterações da qualidade do ar, aumentar a temperatura”, entre outros aspetos negativos para o ambiente.

Já Miguel Esteves considera que a autarquia poderia aproveitar a oportunidade dos fundos comunitário e executar uma obra que fosse “uma intervenção de fundo, com uma ligação subterrânea entre a Rua Miguel Torga e a Av. 1º de Maio”.

Adriano Sousa, vereador do ordenamento do território e urbanismo de Vila Real, lembrou que o PEDU tem como principal objetivo facilitar a mobilidade pedonal e incentivar o uso do transporte público.

O  arranque das obras de beneficiação da Avenida Carvalho Araújo aguarda o visto do Tribunal de Contas para a consignação da obra, e antes de dezembro a avenida começa a ser transformada.

Amanhã no Pequeno Auditório do Teatro de Vila Real o PEDU- Plano de Estratégico de Desenvolvimento Urbano vai continuar a ser debatido nomeadamente com os planos de requalificação dos bairros sociais, a criação do eixo vertical pedonal estruturante do centro histórico e a reabilitação da zona envolvente à antiga Estação de Caminhos de Ferro.

O PEDU em Vila Real prevê um investimento de 17 milhões de euros.

Menu