O presidente de Câmara de Boticas está preocupado com a falta de eficácia da Proteção Civil no combate a incêndios

O presidente da Câmara de Boticas manifestou-se hoje preocupado quanto à falta de organização no dispositivo de combate a incêndios e ao não funcionamento dos postos de vigia. Uma posição que Fernando Queiroga tomou depois desta madrugada o seu concelho ter assistido a uma destruição de cerca de 50 hectares de pinheiro bravo, junto à população de Cerdedo.

O presidente de Câmara referiu que quando os bombeiros chegaram ao local, cerca das três da madrugada, já tinham sido consumidos pelas chamas perto de 20 hectares de floresta. Fernando Queiroga diz que apesar dos avisos do Instituto Português do Mar e Atmosfera não houve preparação nem coordenação da Proteção Civil para evitar os fogos das últimas horas.

Fernando Queiroga refere que o Governo tem de “entender, de uma vez por todas, que as condições climatéricas estão completamente alteradas e a época de incêndios florestais não pode ser definida por portaria ministerial”.

Para o autarca de Boticas o Ministério da Administração Interna continua “completamente alheado a nova realidade”, Fernando Queiroga diz mesmo que o Governo só está interessado em “avançar com alterações à estrutura da Proteção Civil” e não reforça os meios de prevenção e combate no terreno.

Menu