Montalegre: Reunião de avaliação do SIPAM de Barroso

Desde que foi apresentado em julho de 2020, o centro de acolhimento do SIPAM de Barroso – onde se pretende instalar um centro de estudo, divulgação, investigação e até de degustação dos Sistemas Importantes do Património Agrícola Mundial do Barroso (GIAHS/SIPAM) – tem vindo a ser trabalhado de forma a poder corresponder às expetativas criadas.

Seguiu-se a oficialização da ValorBarroso em junho último – consórcio para o desenvolvimento do Centro para a Valorização do Barroso – Património Agrícola Mundial. Esta reunião serviu, entre outras matérias, para fazer o ponto de situação do projeto onde foi anunciado a criação de 12 bolsas de doutoramento e 3 de pós-doutoramento.

A obra que irá abarcar esta aposta, orçada em 1,3 milhões de euros, a ser erguida no antigo centro de formação agrícola da Aldeia Nova – munido com sete edifícios dispersos por nove hectares – aguarda o visto do Tribunal de Contas.  

David Teixeira | Vice-presidente da Câmara de Montalegre «Quase um ano depois de ter sido desenhado este grande projeto do Centro SIPAM de Barroso, estamos na reta final daquilo que será o primeiro grande passo na valorização do território. Já temos o projeto que está a aguardar o visto do Tribunal de Contas para ser iniciada a obra. Estamos a desenhar os perfis para os doutoramentos e pós-doc, essenciais para trazer conhecimento à região. Queremos que tenham uma visão de abrir caminhos, que olhem para o território com um sentido crítico e científico e que procurem as nossas mais valias na nossa paisagem e nos nossos produtos. Todo este trabalho deve potenciar o futuro da nossa economia local. Temos esperança que muitos dos possíveis doutoramentos sejam realizados por locais e que este envolvimento da população local seja um passo para a fixação dos ativos e que o desenvolvimento seja feito com as pessoas de cá.»

Orlando Rodrigues | Presidente do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) «Estamos a avançar com esta unidade de investigação de apoio ao SIPAM de Barroso. É um projeto que está a ser trabalhado há algum tempo. Estivemos a ultimar os termos do protocolo entre o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) e os municípios de Montalegre e Boticas no âmbito do projeto ValorBarroso. Vamos agora arrancar com a contratação de investigadores que serão financiados, em simultâneo, pelos dois municípios. São 12 bolsas de doutoramento e pós-doutoramento. Vão ser desenvolvidas iniciativas de formação, nomeadamente cursos de Verão. O primeiro será sobre os sistemas naturais do Barroso no sentido de sensibilizar mais jovens para este património mundial. É uma dinâmica que é sustentada no conhecimento, na investigação e na valorização científica deste património único e com enorme potencial. Esperamos que no início de setembro já tenhamos aqui no terreno gente a trabalhar.»
CI_CMM
Menu