Manuela Tender pede demissão de secretária da direção do Grupo Parlamentar do PSD

A Deputada do PSD eleita pelo círculo de Vila Real, Manuela Tender, pediu ontem a demissão do cargo de secretária da direção do Grupo Parlamentar do PSD, uma medida que tomou por ter “desrespeitado a disciplina de voto “ na questão da restauração da Casa do Douro como associação de direito público com inscrição obrigatória, um projeto lei conjunto apresentado pelo Bloco de Esquerda, Partido Socialistas, PCP e Verdes.

A parlamentar referiu que não acatou a posição do seu Partido votando contrariamente à disciplina de voto, e por entender que o presidente da Bancada poderia ter perdido “confiança” com este ato apresentou a sua demissão.

Manuela Tender diz que votar no sentido contrário ao seu partido foi uma decisão difícil de tomar, mas perante o que ouviu no Douro, quer dos viticultores quer dos autarcas, entendeu que devia votar a favor de uma Casa do Douro pública.

A deputada social democrata Manuela Tender diz que esta matéria da Casa do Douro “é uma questão de consciência”, acrescentando que “quando entendemos que aquela é a opção que os nossos cidadãos, que nos elegeram, sentem como a mais correta, a mais justa e a mais desejada não podemos votar noutro sentido”.

A Assembleia da República aprovou por maioria no passado dia 5 de abril o projeto de lei do BE, PS, PCP e Verdes que passa a Casa do Douro a associação pública com inscrição obrigatória, um projeto que teve os votos contra do CDS-PP e do PSD, exceto da deputada Manuela Tender.

Menu