Companhia de Seguros atribui à “complexidade” do caso o atraso na solução para estragos causados por queda de grua

No seguimento da notícia relativa à indignação da autarquia de Vila Real pelo facto de ainda não haver resolução no caso da grua que caiu no Campo do Calvário no passado dia 26 de novembro, a companhia de seguros responsável pelo empreendimento da empresa Nesinocas, enviou um comunicado, com uma explicação pelo atraso de quase cinco meses na resolução da matéria.

A Crédito Agrícola Seguros diz que “o sinistro consistiu na queda de uma grua montada pela empresa Gruas Nunes, Lda, na obra do Segurado, que provocou danos no campo de futebol do Calvário”. Refere ainda que foi “de imediato” iniciado o processo de instrução, mas “por se tratar de situação tecnicamente complexa”, consideraram que “ainda não está claramente determinada a responsabilidade do dono da obra pela queda da grua e consequentemente pelos danos provocados no campo de futebol. Só no caso de essa responsabilidade vir a ser atribuída ao dono da obra, Nesinocas, é que a mesma poderá ser transferida para a CA Seguros, através da apólice de Responsabilidade Civil existente.”

Recorde-se que o autarca de Vila Real Rui Santos, em conferência de imprensa, considerou este atraso como incompreensível, referindo que a câmara irá avançar com a reparação dos danos, ao mesmo tempo que irá avançar com um processo em tribunal.

Sónia Domingues

Menu