Câmara de Vila Real tem plano de estabilização de emergência para área ardida do Alvão

A Câmara Municipal de Vila Real tem aberto concurso público para a realização do projeto de Estabilização de Emergência da área ardida de 300 hectares, resultante do incêndio de 2017 e que afetou os territórios da União de Freguesias de Borbela e Lamas D’Olo e da União de Freguesias de Adoufe e Vilarinho da Samardã.

Este projeto, no valor de trinta mil euros, resulta de uma candidatura efetuada pela autarquia aos apoios comunitários disponibilizados pelo PDR 2020, como referiu à UFM o vereador da Câmara de Vila Real, Carlos Silva.

Esta intervenção tem como objetivo minimizar o risco de erosão que resulta do desaparecimento da vegetação que reveste o solo após a sua destruição pelo incêndio, onde serão plantadas arvores autóctones.

Um trabalho do município de Vila Real, mas que conta com a parceria das juntas de freguesia e dos Baldios.

O programa de reflorestação das áreas ardidas em 2017 nas freguesias de Borbela e Lamas D’Olo, Adoufe e Vilarinho da Samardã pretende a Recuperação de infraestruturas afetadas, e a diminuição da perda de biodiversidade.

Menu