BE teme que obras na Marechal Teixeira Rebelo danifiquem vestígios de Arte Rupestre, câmara garante que património é preservado

Notícias, Vila Real

O Bloco de Esquerda de Vila Real manifesta a sua preocupação relativamente à “forma negligente” que o executivo municipal está a tratar o património, nomeadamente os vestígios de Arte Rupestre existentes na Rua Marechal Teixeira Rebelo, que está atualmente em obras no âmbito do PEDU Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano.

Ontem o Bloco de Esquerda esteve reunido com o arqueólogo Luís Pereira e com a International History Studants & Historians Grup tendo sido alertado para a “iminente perda de património rupestre.”

Luís Santos, do Bloco de Esquerda de Vila Real, considera que o desenvolvimento e modernidade da cidade não podem ser feitos à custa da destruição do Património. Para o membro do Bloco de Esquerda de Vila Real o município falha na forma como trata o património histórico e lembra outros casos recentes em que que a autarquia deveria ter preservado a história, dando como exemplo a Panificadora Nadir Afonso, a Ponte de Torneiros e ainda o caminho romano na Campeã.

O Bloco de Esquerda considera que o município de Vila Real deveria ter um gabinete específico para “garantir um correto acompanhamento da temática do património.”

Adriano Sousa, vereador da mobilidade e urbanismo da câmara de Vila Real, refuta as acusações do Bloco de Esquerda e refere que a autarquia é a primeira a defender e a valorizar o património. O vereador lembra que nesta intervenção na Rua Marechal Teixeira Rebelo a autarquia está a valorizar as duas fontes, uma delas do seculo XIV, acrescentando que foram acauteladas todas as medidas para preservar os vestígios rupestres existentes naquela via.

Adriano Sousa alega que não há qualquer motivo para preocupações uma vez que a autarquia está atenta às questões patrimoniais.

Adriano Sousa lembra ainda que a autarquia tem vindo a defender a história da cidade e a prova está na recuperação da Central do Biel , obras que estão já em curso, com o objetivo de valorizar aquela peça de arqueologia industrial.

Menu