Autarca Boticas preocupado com consequências de extração lítio no seu concelho

A prospeção de lítio na região do Barroso continua, e agravam-se as preocupações das populações afetadas com este investimento que pretende extrair a matéria prima que atualmente é muito procurada no mercado internacional.

O presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, esteve reunido com a população onde manifestou vontade de continuar a defender o interesse das aldeias do seu concelho. O autarca diz que a empresa concessionária pela exploração inicialmente omitiu as reais pretensões e continua a esconder muita informação.

Fernando Queiroga diz que “não vendo o concelho por meia dúzia de postos de trabalho”, acreditando que pode arranjar emprego mais duradouro e sustentado de outra forma.

O presidente da Câmara de Boticas receia que a exploração de lítio prejudique ambientalmente o concelho.

O autarca de Boticas espera agora pelo parecer do estudo de impacto ambiental, no entanto afirma-se preocupado quanto ao futuro do seu concelho caso a extração do lítio seja uma realidade.

Entretanto a empresa Savannah Resources afirmou que a mina de lítio em Boticas terá um investimento de 500 milhões de euros e que o recurso potencial conhecido dará para produzir baterias para 250 a 500 mil carros por ano.

A empresa diz ainda que o projeto prevê a criação de forma direta de cerca de 300 postos de trabalho a longo prazo.

Menu