Associação Terra Maronesa envia carta aberta ao Reitor da Universidade de Coimbra

Notícias, Região

O Reitor da Universidade de Coimbra anunciou que a partir de janeiro de 2020 as cantinas da sua academia vão abolir a carne de vaca por motivos ambientais, contribuindo assim para a redução de taxa de carbono.

 Ora esta posição de Amílcar Falcão já mereceu várias críticas e chamadas de atenção. Uma delas é da Associação Terra Maronesa que apoia a criação da raça autóctone da Serra do Alvão.

  Carlos Aguiar, docente no IPB e elemento da Associação Terra Maronesa, critica esta medida por considerar que “é exagerada” e lembra as diferenças entre as raças autóctones e as produzidas de forma intensiva.

Carlos Aguiar considera que as decisões antes de serem tomadas tem de ser bem ponderadas e “esta falta de informação que o Reitor da Universidade de Coimbra demonstrou” pode ser prejudicial para as raças autóctones.

A Associação Terra Maronesa garante que o consumo de raças locais é uma forma de ajuda  o ambiente, uma vez que a produção de bovinos de raça autóctone  tem uma importância fundamental no aumento da diversidade biológica

Carlos Aguiar espera que a carta aberta da Associação Terra Maronesa venha repor a verdade no que foi dito sobre a produção animal

Esta é a resposta da Associação Terra Maronesa a decisão do Reitor da Universidade de Coimbra de abolir a carne de bovino nas ementas das cantinas universitárias. A associação diz ainda que está disponível para “oferecer os seus préstimos à Universidade de Coimbra ” no que diz respeito às questões de sustentabilidade ambiental.

Menu