Abate de sobreiros no Alto Tâmega criticado pela Quercus

Mais de mil e cem sobreiros vão ser abatidos durante a construção das barragens do Alto Tâmega. Esta semana o Governo declarou a “imprescindível utilidade pública “da construção das barragens de Daivões e Alto Tâmega, autorizando desta forma a empresa Iberdrola a abater os sobreiros.


A Quercus associação ambientalista considera lamentável este abate e mostra-se “preocupada com este atentado ambiental” como referiu Nuno Sequeira, que acrescentou que a compensação para o abate é muito reduzida.

São 1145 sobreiros, 444 adultos e 701 ainda jovens localizados nas áreas que vão ficar inundadas. Nuno Sequeira lembra que o sobreiro é muito importante do ponto de vista ambiental, social, e económico e por isso deveria haver um plano de proteção desta espécie autóctone

A posição da Quercus é também um alerta para que sejam evitados novos casos de abate excessivo de sobreiros

De referir que estas barragens foram sujeitas a um Estudo de Impacto Ambiental tendo sido emitida a declaração favorável condicionada.

Menu